Cresce consolidação em software para ensino a distância

Quarta-feira, 10 de Outubro de 2012

Por Bruna Cortez | De São Paulo
Nos últimos meses, a brasileira Gestum, especializada em softwares de ensino a distância, passou por dois movimentos importantes desde sua criação, em 2000. Depois de receber um aporte do fundo de investimento Warehouse, a companhia, com sede em Pelotas (RS), fez sua primeira aquisição e comprou a Taex, do mesmo setor, por R$ 3,5 milhões.

"Esse é um segmento que vai passar por uma consolidação e queremos ser protagonistas nesse cenário", disse ao Valor César Braga, executivo-chefe da Gestum. A companhia, que já tem um escritório em São Paulo, vê a aquisição como um passo importante para ampliar sua presença na região.

Além da Taex, o plano da Gestum é investir R$ 8 milhões na compra de outras duas empresas até o fim do ano. O aporte feito pelo Warehouse para adquirir 20% da companhia é um dos alicerces dessa estratégia, de acordo com Braga. Com o investimento, o fundo tem direito a uma das cinco cadeiras do conselho de administração da companhia.

No Brasil, a venda de sistemas de ensino a distância ainda está muito concentrada em empresas que usam esse tipo de software para oferecer treinamento aos funcionários. Escolas e universidades representam uma oportunidade importante, mas ainda são marginais em termos de vendas.

De acordo com Braga, há instituições que apostam em videoaulas, mas não têm sistemas on-line de ensino. "De todo modo, queremos olhar cada vez mais para o meio acadêmico", afirma.

A Gestum prevê uma receita de R$ 27 milhões em 2013. Para a companhia, a expectativa é que a venda de sistemas para clientes como O Boticário, Natura e TIM represente boa parte desse faturamento. A companhia tem aproximadamente 70 funcionários divididos entre os escritórios de Pelotas e São Paulo.

A falta de mão de obra qualificada é um dos fatores que tem dado força ao segmento de softwares de ensino a distância no país, disse Braga. "As empresas acabam tendo de investir na formação de seus funcionários e a maneira menos cara de fazer isso é por meio de treinamentos a distância", afirmou. Em 2016, a expectativa da companhia é atingir um faturamento de R$ 100 milhões.

Esse potencial de mercado tem provocado movimentações de outras companhias do segmento. Em 2009, as brasileiras QuickMind, Eduweb e Milestone se uniram para formar a Affero. Um ano depois, a empresa recebeu um aporte de R$ 25 milhões do fundo BR Educacional, da BR Investimentos. Não foi revelado qual a fatia adquirida, mas a participação foi minoritária. A Affero foi às compras em 2010 e comprou a Menes LearnInsight.

Agora, a Affero está de olho em novas aquisições, disse Fabio Barcello, presidente da companhia. A empresa tem aproximadamente 400 funcionários e receita estimada em R$ 75 milhões neste ano.

A Ciatech é outra empresa que vem colhendo os resultados do crescimento do mercado de softwares de ensino a distância no Brasil. Com receita anual de cerca de R$ 35 milhões, a empresa recebeu propostas de fundos de investimento. "Mas muito mais que dinheiro, estamos em busca de sinergia", disse Thiago Moreno, diretor comercial e sócio da companhia. De acordo com o executivo, a empresa também estuda possíveis aquisições.

Competidores globais, como a americana Blackboard, também têm se voltado para o mercado brasileiro de softwares de ensino a distância. A Blackboard tem foco na área acadêmica e firmou acordos com universidades como Anhembi Morumbi e Cruzeiro do Sul.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.

Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2861896/cresce-consolidacao-em-software...

Comentar

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.
  • Endereços de páginas de internet e emails viram links automaticamente.
  • Tags HTML permitidas: <a> <em> <strong> <cite> <code> <ul> <ol> <li> <dl> <dt> <dd>
  • Quebras de linhas e parágrafos são feitos automaticamente.

Mais informações sobre as opções de formatação